Mitos e verdades: Jejum

29.mai.2017

Tire suas dúvidas sobre a nova orientação médica que vem sendo seguida desde janeiro deste ano.

DASA-2211A-IMAGEM-BLOG-V01

Fazer exames de sangue é uma maneira rápida e muito eficaz de diagnóstico, mas o longo tempo de jejum pode ser um desconforto na preparação da coleta. Porém, a partir do começo do ano, uma nova orientação médica vem sendo oficialmente seguida: o jejum não necessariamente é de 12 horas, podendo até nem ser necessário.

Com a flexibilização do jejum, é mais simples se preparar para os exames e fica mais fácil realizá-lo no melhor horário para a sua rotina: à tarde, por exemplo, longe do horário de pico e trânsito das grandes cidades. Pacientes sensíveis como crianças, gestantes, idosos e pessoas com diabetes também são beneficiados com a mudança.

O novo parâmetro é um consenso entre a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial, a de Cardiologia e a de Análises Clínicas, e seu principal motivo foi a descoberta de que algumas pessoas apresentavam os níveis de triglicérides elevados só depois de se alimentarem. Um dado importante que não aparecia com o paciente em jejum, e ainda pode indicar risco cardiovascular.

No infográfico abaixo, a médica endocrinologista Cleide de Oliveira Weingrill Sabino explica os principais mitos e verdades sobre o jejum:

Importante: No caso de crianças e recém-nascidos, o prazo de jejum geralmente é menor dos que o dos adultos, mas tudo irá depender da recomendação do pediatra.

Confira aqui o tempo de jejum para cada exame: http://blog.altadiagnosticos.com.br/menor-tempo-de-jejum-mais-conforto-para-os-pacientes/